sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

CABO VERDE - O SANGUE DOS MÁRTIRES



Louvo a Deus pela sensibilidade dos Líderes que Deus tem colocado na sua obra. Homens que sabem escutar a voz de Deus, e que conhece os tempos não pelos sinais do clima.

Quando pensando e orando a Deus pelo momento que a Igreja do Nazareno em Cabo Verde está vivendo "Momentos de Glória": Campanha Nacional "Nos Sperança" e promoção de valorosos homens e mulheres de Deus ao galardão eterno, Deus respondeu ao meu coração exatamente a mesma coisa que o Superintendente Araujo escreveu:


Nesta manha ao ler seu artigo "O SANGUE DOS MÁRTIRES" parece que Deus me respondeu pela segunda vez a mesma resposta referente a esta mesma situação.


Eu também, digo amém aquilo que Tertuliano escreveuo sangue dos mártires é a semente da Igreja”.Aguardo ansiosamente para ver aquilo que Deus vai fazer nestas ilhas na continuidade dos dias...

Ler artigo na Integra AQUI.


No mesmo Espírito
Rev. Oziel Morais
Campinas/Brasil

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

"CURA GAY" com pastor Silas Malafaia, Marisa Lobo e Marco Feliciano: “O Brasil não é um país homofóbico”


veja o vídeo na integra: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=dbnHCOgD8ho 
Na edição de ontem, 03/12, do programa CQC, na Band, foi apresentada uma matéria feita pela repórter Monica Iozzi sobre a cobertura da audiência pública realizada no dia 28/11 para a discussão do projeto de lei apelidado de “cura gay”.
Entre os entrevistados para a matéria, estavam o pastor e deputado federal Marco Feliciano, a psicóloga Marisa Lobo e o pastor Silas Malafaia, entre outros.
Questionada em tom provocativo pela repórter Monica Iozzi a respeito de um paciente buscando a “cura” do homossexualismo, a psicóloga e colunista do Gospel+, Marisa Lobo, respondeu: “Não sou curandeira, em primeiro lugar. Em segundo lugar, eu faria o que a minha profissão diz que eu tenho que fazer: atender o sofrimento psíquico do cidadão”. A repórter questionou se Marisa Lobo atenderia um paciente hetero que deseja se tornar homossexual, e a resposta foi positiva.
O pastor Marco Feliciano foi questionado se seria a favor da terapia de para “cura” da homossexualidade, e respondeu que é “a favor da liberdade da pessoa procurar ajuda, independente do que seja. Um psicólogo tem que tratar de todo tipo de angústia interior”. A repórter insistiu no tema, questionando se seria certo um psicólogo se referir ao assunto como “cura”. O deputado federal pelo PSC-SP respondeu que nesse caso, “ele tem que responder mediante um processo, porque não é cura, não é doença”.
O deputado federal Arolde de Oliveira (PSD-RJ) afirmou que “homossexualismo não é doença, é uma questão de orientação”.
O pastor Silas Malafaia foi confrontado pela repórter com os dados referente ao número de 165 homossexuais mortos durante o primeiro semestre de 2012. Malafaia respondeu afirmando que “o índice é ínfimo”, pois durante 2011, “50 mil pessoas foram assassinadas”.
-Vocês querem dizer, que o número de pessoas assassinadas (homossexuais) é uma estatística de que o Brasil é um país homofóbico. Não é homofóbico – enfatizou o pastor.
A repórter do CQC questionou se Malafaia seria homofóbico, e o pastor respondeu: “Nunca bati em homossexual, não odeio homossexual”. Na sequência, num bate boca com a repórter, o pastor enfatizou que o mesmo Deus que fala de amor na Bíblia, também promete lançar o homem pecador que não se arrepende de seus atos, no inferno.
Monica Iozzi pediu em tom sarcástico que Silas Malafaia mandasse um beijo para o deputado Jean Wyllys, e o pastor respondeu: “O dia que ele aprender a me respeitar…”.
veja o vídeo na integra: http://youtu.be/dbnHCOgD8ho 
Publicado por Tiago Chagas em 4 de dezembro de 2012 
http://noticias.gospelmais.com.br

terça-feira, 27 de novembro de 2012

JOAQUIM BARBOSA

"O QUE DEI FOI ORAÇÃO"
Em declaração para a imprensa, Benedita Gomes da Silva, mãe do ministro Joaquim Barbosa, comentou que a única coisa que deu ao filho foi oração e que ele conseguiu chegar à presidência do Supremo Tribunal Federal por conta própria.

“O que eu dei foi oração, ele lutou por conta própria”, disse ela que é evangélica da Assembleia de Deus. Ao lado de parentes e artistas, o ministro Joaquim Barbosa tomou posse do novo cargo nesta quinta-feira (22).
Nascido na cidade de Paracatu, Minas Gerais, em 1954 o ministro se esforçou para conquistar seus sonhos, aos 16 anos ele se mudou para Brasília para morar com uma tia e cursar o ensino médio.
Foi nessa época que ele conseguiu trabalho como compositor gráfico do Senado e mais tarde como oficial do Ministério das Relações Exteriores.
Formado em Direito pela Universidade de Brasília, Joaquim Barbosa é casado com Marileuza Francisco de Andrade com que tem um filho, Felipe, nascido em 1982.
Sempre seguindo carreira pública, Barbosa foi nomeado pelo então presidente Lula em 2003 para o STF. Apenas em 2008 ele conseguiu se tornar ministro efetivo e também vice-presidente da mais alta corte do Brasil.
A posse de Joaquim Barbosa se tornou histórica por ele ser o primeiro homem negro a presidir do Supremo Tribunal Federal.
In, http://noticias.gospelprime.com.br/mae-posse-joaquim-barbosa/ 

BENÇÃO: Presidente de Uganda faz oração entregando seu país nas mãos de Deus

O presidente da Uganda, Yoweri Museveni, fez um discurso diferente durante a comemoração dos 50 anos de independência de seu país. A fala do líder político foi uma oração com pedidos de perdão pelos pecados da nação e uma oração colocando o país nas mãos de Deus.

A festa aconteceu no dia 9 de outubro, mas só agora os sites de notícias tiveram acesso e começaram a comentar o caso. Alguns blogs chegaram a questionar líderes religiosos para comentar o caso tão atípico.
Museveni chegou a pedir perdão pelo passado da Uganda, dizendo que estava ali para “encerrar o passado de malignidade”. “Confessamos esses pecados, que têm causado grandes impedimentos para nossa harmonia nacional e atrasos para nossa transformação política, social e econômica. Confessamos os pecados de idolatria e bruxaria que são abundantes em nosso país”.
Outros pecados foram citados pelo político, incluindo o orgulho, tribalismo, sectarismo, preguiça, indiferença, corrupção, imoralidade sexual e outros.
“Queremos dedicar esta nação a ti de modo que tu sejas o nosso Deus e guia. Queremos que Uganda seja conhecida como uma nação que teme a Deus e como uma nação cujos alicerces estão firmemente enraizados na justiça para cumprir o que a Bíblia diz no Salmo 33:12: ‘Feliz a nação cujo Deus é o SENHOR, o povo que Ele escolheu para lhe pertencer!’”.
Entre os pastores que comentaram a declaração do presidente da Uganda está o reverendo Scott Lively que disse que Museveni fez uma oração que serve de exemplo para outros políticos.
“A oração de Museveni é um modelo para todos os líderes cristãos no mundo inteiro. O declínio dos líderes do Ocidente está ocorrendo em proporção ao grau de rejeição que eles demonstram a Deus”, disse Scott.
O reverendo Lively apoia o governo da Uganda no processo que criminaliza a conduta homossexual. O Parlamento deve votar até o final do ano sobre as sentenças de prisão para atos homossexuais tanto para quem pratica como para os que promovem. Traduzido de God Discussion.
In http://noticias.gospelprime.com.br. 

O MUSICO DA FAMÍLIA


terça-feira, 13 de novembro de 2012

Urgente - Pedido de Sangue - ILHAS DE CABO VERDE

Bom dia a todos! Para informar que temos jovens nazarenos hospitalizados devido ao acidente de viacao ocorrido neste Domingo, 11 Nov, e estão a necessitar de sangue. 
Agradecemos a todos que possuem sangue ORH+ ou A+,o favor de se dirigirem ao 
Hospital Agostinho Neto, a fim de doar sangue a estes jovens que necessitam ser operados! 
Ou todos que possam independentemente do tipo de sangue para reposição de sangue 
no Hospital. Agradecido! Orando uns pelos outros! Deus vos abençoe!

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

CAMPANHA NACIONAL DE EVANGELISMO - Cabo Verde

Nu Sta Djuntu Em Oração...

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

VESTIBULAR FNB 2012


Como professor desta instituição recomendo a instituição e convido você a fazer os cursos que ela disponibiliza. Seu futuro com certeza será marcada pelo sucesso.
Faculdade Nazarena do Brasil. Recomendo, compartilho e curto, faça você também...
Veja nossa Proposta:
http://www.youtube.com/watch?v=YNrOymrpA5Q  


O LUCRO NÃO COMPENSA A DOR!


Revendo as manchetes dos últimos anos, parece existir um padrão recorrente entre líderes profissionais e figuras do esporte, com quedas graves de suas posições de privilégio, riqueza e honra, para a desgraça pública e o ridículo. Quer sejam altos funcionários de Bancos envolvidos em manipulação de taxas, ou altos executivos de empresas de investimento recomendando operações com conflito de interesses, ou ainda a liderança executiva de uma universidade de prestígio acobertando falhas morais graves, todos perderam fortunas, posições de liderança, respeito do meio empresarial e liberdade pessoal, por causa de decisões péssimas. Ao tomá-las acreditavam que poderiam “se safar” e não ser descobertos. 
Se pudesse entrevistar cada um deles, eu lhes perguntaria se o lucro potencial ou real de suas ações valeu o preço que pagaram, estão pagando ou pagarão no futuro. A maioria provavelmente admitiria ter cometido erros graves e, se tivesse nova oportunidade, escolheria outro curso de ação. Líderes empresariais têm a tendência de acreditar que podem fazer o que quiserem porque “a empresa é MINHA”. CEO’s e altos executivos que professam seguir a Jesus Cristo, porém, sabem que não é bem assim. Não é a "nossa empresa" que estamos dirigindo: é a empresa de Deus! Ele nos designou como administradores por breve período de tempo. Um dia Ele nos pedirá contas daquilo que fizemos com o que Ele nos deu. 
Assim, a pergunta que devemos responder é: como nos preparar antecipadamente para uma boa prestação de contas de nossa gestão? Permita que eu faça algumas sugestões que podem ajudar-nos a permanecer no caminho certo:
§  Você estaria disposto a abrir suas operações empresariais, inclusive os registros contábeis, e permitir que Jesus Cristo examine cada documento, processo e procedimento? Você poderia dar-Lhe explicação clara e honesta de cada detalhe operacional?
§  Você estaria disposto a deixar seu cônjuge e amigos íntimos olhar sua agenda dos últimos 90 dias e ver onde esteve e com quem se encontrou? Você os deixaria examinar os registros do seu smartphone para ver com quem tem conversado?
§  Você estaria disposto a deixar seu líder espiritual e amigos comunitários olhar os sites da web que tem visitado em seu computador pessoal ou no da empresa?
§  Existe alguém em sua vida, para quem você presta contas da vida profissional e pessoal de forma periódica? 
Se respondeu honestamente com um “sim” às quatro perguntas, você está agindo bem, tanto para com Deus, como com aqueles que lhe são importantes. Se respondeu "não", é tempo de arrepender-se de sua conduta errada e fazer restituição a quem você prejudicou, antes que sofra tremenda queda. Geralmente as pessoas nos perdoarão se acreditarem que estamos sendo sinceros e prontos para mudar nossa forma errada de pensar e agir. 
A Bíblia declara: “O seu pecado os encontrará!” (Números 32.23). Os líderes a que me referi aparentemente não acreditavam nisso e foram descobertos um a um!
Antes de buscar lucro de maneira errada, considere se vale o sofrimento que trará no final. 
Por Lane Kramer

MANÁ DA SEGUNDA
29 de outubro de2012




segunda-feira, 22 de outubro de 2012

VOCÊ CORRE DE QUÊ, POR QUÊ E PARA QUÊ?


No frenético mundo profissional parece que todo mundo está correndo, tentando desesperadamente chegar seja lá onde for e o mais rápido possível. Para onde você está correndo? Melhor: Para o quê e do que você está correndo?

Um amigo levantou estas questões em recente palestra. Perguntei-lhe se poderia tomá-las emprestadas e adaptá-las para um artigo. O título da preleção foi: “Quatro qualidades do homem de Deus” . Achei que se aplicariam ao “empresário e profissional de Deus”. Mesmo que você não pense de si mesmo dessa maneira, me acompanhe porque esses princípios são relevantes para nós.

A palestra estava centrada no que Paulo escreveu a Timóteo: “O amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram com muitos sofrimentos”.  Acrescentou: “Você, porém, homem de Deus, fuja de tudo isso e busque a justiça, a piedade, a fé, o amor, a perseverança e a mansidão. Combata o bom combate da fé. Tome posse da vida eterna, para a qual você foi chamado e fez boa confissão na presença de muitas testemunhas” (1Timóteo 6.10-12). Esse texto levanta quatro questões que, como empresário ou profissional, você deveria considerar: 

1. Do que você está correndo? Podemos correr de muitas coisas: fracassos; obrigações pessoais, profissionais e financeiras; experiências ruins; lembranças desagradáveis; situações estressantes. Mas será que corremos das circunstâncias que nos tentam transigir com a ética ou trair nossas convicções? Por isso, os seguidores de Cristo são advertidos a "fugir da idolatria” (1Coríntios 10.14b),significando tudo o que possa desviá-los de crenças e valores estimados.

2. O que você está buscando? Ao progredir no mercado podemos buscar inúmeras coisas: promoção; mais responsabilidade; maior contribuição ao empreendimento. Mas podemos ser consumidos pela busca de poder, posição e bens materiais, coisas que atraem o orgulho. Paulo instigava Timóteo a buscar “justiça, piedade, fé, amor, perseverança e mansidão” (1Timóteo 6.11).

3. Pelo que você luta? Se alguém da nossa família ou nosso amigo estiver correndo perigo lutaremos por sua proteção e segurança. Com frequência lutamos pela próxima venda, pelo próximo cliente, ou por uma “fatia do mercado”. Mas como Paulo, será que combatemos “o bom combate da fé” (1Timóteo 6.12)? Estamos determinados a sustentar nossas crenças mais profundas, mesmo que a custo pessoal ou profissional?

4. No que você se agarra? Nos negócios existem muitas coisas a que se apegar: reputação, status, rendimentos, até mesmo o escritório bem posicionado ou uma vaga de estacionamento. Mas será que somos igualmente diligentes em nos agarrarmos a coisas não tão tangíveis, mas que, em última instância, são de grande valor? Paulo escreveu: “Tome posse da vida eterna, para a qual você foi chamado” (1Timóteo 6.12).

São questões importantes para se pensar, você não acha?  
Por Robert J. Tamasy
MANÁ DA SEGUNDA


22 de outubro de2012

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

GRANDES LÍDERES COMUNICAM GRANDE VISÃO



Quando minha filha Megan disse que queria ser terapeuta ocupacional, não compreendi sua vocação ou o que tal trabalho envolvia. Isso foi antes de visitar o programa para formação de terapeutas ocupacionais do Centro Médico da Universidade do Kansas. A diretora do programa, após cumprimentar os pais e potenciais alunos, informou-nos que o trabalho do terapeuta ocupacional é “descobrir os sonhos do paciente e ajudá-lo a vencer os desafios para realizar esses sonhos”.

Não havia como não ficar maravilhado com a poderosa imagem do impacto que um terapeuta ocupacional exerce. A diretora mostrou ser uma líder sábia. Ela poderia ter descrito as obrigações diárias e detalhar as atividades do terapeuta ocupacional. Ao invés disso ela inspirou os alunos com uma visão desafiadora, conquistando o apoio de pais entusiasmados com o papel significativo que seus filhos poderiam desempenhar na vida das pessoas. Encontramos exemplos bíblicos desse princípio de inspirar seguidores com uma grande visão de futuro quando  Deus disse a Moisés:“Portanto, dê ordens a Josué, fortaleça-o e encoraje-o; porque será ele que atravessará à frente deste povo, e lhes repartirá por herança a terra que você apenas verá” (Deuteronômio 3.28)Deus não estava apenas atribuindo uma tarefa a Josué: Ele estava comunicando-lhe uma visão para liderar os israelitas. 

Um líder sábio inspira outros com uma visão maior e mais importante do que as responsabilidades específicas que envolvem suas tarefas. É a história do pedreiro que assentava um grande bloco de granito, trabalhando com uma grande equipe de construtores na Europa. Quando alguém que passava lhe perguntou o que estava fazendo, ele respondeu: “Estou construindo uma catedral!”  Esse pedreiro tinha visão!

O desafio para nós, lideres, é comunicar essa visão, capacitando pessoas a verem seu trabalho como maior do que elas próprias. Isso começa por nós: não podemos dar o que não possuímos. Assim, nós mesmos precisamos ter uma visão maior antes de passá-la para outros. Por isso fiquei tão impressionado com o que faz um terapeuta ocupacional. Profissionalmente gastamos tanto tempo focados no tema central nos esforçando para obter lucros, que deixamos escapar a visão maior. Em sua empresa, você conhece os produtos e serviços que fornece. Mas qual é sua visão? Como seu negócio pode Fazer diferença positiva e significativa na vida das pessoas que toca? Eis aqui dois exemplos bíblicos: 

Deixe claro o objetivo. Quando Jesus inicialmente abordou Seus futuros discípulos, precisava convencê-los a deixar seu costumeiro trabalho como pescadores. Ele simplesmente lhes descreveu o seu novo trabalho: “Sigam-Me, e Eu os farei pescadores de homens” (Mateus 4.19). 

Informe como vidas podem ser transformadas. Perto do final de Seu ministério terreno Jesus Cristo deixou claro aos Seus seguidores o que esperava que fizessem: “Vão e façam discípulos de todas as nações... ensinando-os a obedecer a tudo o que Eu lhes ordenei...”  (Mateus 28.19-20).  

 Por Rick Boxx
MANÁ DA SEGUNDA


1 de outubro de 2012



                                                                                         


segunda-feira, 17 de setembro de 2012

SE EU TIVESSE UMA NAVA CHANCE


Há momentos em que eu gostaria de ter “uma nova chance” em minha vida. Uma das primeiras coisas que mudaria, se pudesse, seria não investir tanto tempo e dinheiro em busca de mais qualificação acadêmica. Sim, minha graduação no Mestrado foi uma alavanca para meu primeiro emprego. Sim, ele foi útil para formar uma boa rede de relacionamentos. Sim, a graduação deu-me confiança. Mas, foi parecido com o diploma que deu confiança ao espantalho no clássico, “O Mago de Oz”. Ele não precisava tanto do diploma, mas de acreditar em si mesmo.
Não sou avesso a novas tecnologias, nem sou dos que resistem ao progresso ou mudanças. Mas tento ser prático e realista. Na minha busca diária pela verdade tenho lutado para achar o que realmente funciona. E tempo e experiência ensinaram-me que a maior parte do “conhecimento” adquirido não funciona. Como, por exemplo, em finanças.
Quando estudante, nosso mantra era: “A função do negócio é maximizar lucros dentro de limites éticos e legais”. Aprendi isto, acreditava nisto e concordei com cada palavra.
Na minha vida profissional fui executivo de várias organizações. Tive os “brinquedos”, as recompensas materiais resultantes de fazer do lucro a prioridade máxima da empresa. Prosperei além do que imaginei. Entretanto, enquanto continuava na jornada do “maximizar lucros dentro de limites éticos e legais”, me tornei um manipulador, um “usuário de pessoas”. Deixei para trás relacionamentos quebrados e meu casamento quase ruiu.
Foi quando descobri algo que foi para mim melhor que um MBA: a genuína, prática e realística verdade que vem de uma fonte: a Bíblia. 
A Bíblia fala muito mais sobre finanças do que sobre céu e inferno! Com mais de duas décadas como diligente aluno da Bíblia, concluí que ela possui mais verdade, mais orientação prática para viver o dia a dia do que qualquer MBA poderia oferecer. O Novo Testamento resume assim esse aprendizado: “Toda Escritura é inspirada por Deus e é útil para ensinar, para argumentar, para corrigir, para educar conforme a justiça. Assim, a pessoa que é de Deus estará capacitada e bem preparada para toda boa obra” (2Timóteo 3.16-17).
Por isso, ouso oferecer este conselho simples para um profissional ou homem de negócio: estude a Palavra de Deus todos os dias. Se o fizer com sinceridade e honestidade, de coração aberto, vai se surpreender com o que ela fala sobre sua vida e seu trabalho. É uma experiência que irá mudar sua vida.
Por Ken Korkow

MANÁ DA SEGUNDA
17 de setembro de 2012

terça-feira, 11 de setembro de 2012

COMO VOCÊ ENCARA UM NOVO DIA?


Quando você acorda para se preparar para outro dia de trabalho - especialmente na segunda-feira - qual a sua atitude? Você está cheio de entusiasmo e expectativas, encarando com ansiedade as oportunidades e desafios que o dia vai lhe apresentar? Ou você tem sentimentos de frustração ou mesmo medo, desejando voltar para cama, puxar as cobertas, e esquecer o trabalho?Se você fica no lado negativo dessa equação, pode haver várias razões: os prazos parecem esmagadores; sérios conflitos com superiores ou colegas; não corresponder com o que foi chamado para realizar; ou o trabalho se tornou tedioso e rotineiro, deixando-o sem inspiração.
Outras razões podem vir à mente, mas o fator primordial é a sua atitude para com o trabalho e o local onde você trabalha. Nem sempre podemos mudar as circunstâncias, mas podemos escolher nossas atitudes ao lidar com elas.
Não sou do tipo "poder de pensamento positivo" , mas de crença positiva. Gosto de começar cada dia em silêncio - às vezes antes mesmo de sair da cama - repetindo meu versículo favorito: "Este é o dia que o Senhor fez, regozijemo-nos e alegremo-nos nele" (Salmo 118.24). Se eu realmente acreditar que Deus achou por bem dar-me um novo dia, cheio de oportunidades, novas experiências e encontros inesperados, posso encará-lo com otimismo e expectativa.
A maioria dos dias nunca acontece como eu espero. Um amigo me liga sem eu esperar ou envia um e-mail que me leva a uma interação significativa. Inesperadamente alguém me contata e pergunta se eu estaria interessado em um novo artigo ou projeto editorial, fora da minha grade de planejamento. Começo uma tarefa e, de repente, meu foco vai parar em outra coisa e, então, percebo que a original não era tão urgente como eu tinha pensado e que posso postergá-la.
Há quase seis anos passei por uma cirurgia do coração bem sucedida e determinei encarar cada novo dia como um "presente". Ninguém tem a garantia do amanhã, mas sobreviver a um grande evento como esse, ficamos marcados para sempre. Embora reconheça que nem todo dia será agradável ou fácil, se Deus o deu a mim, deve haver uma razão e aguardarei com interesse o que ele me apresentar.Aqui estão princípios das Escrituras para considerar como embarcar em um novo dia:
Encare cada dia como oportunidade e não imposição. Como diz o ditado, "Nossos dias estão contados". Assim, devemos valorizar o que temos e fazer uso bom e sábio do tempo que nos foi dado. "Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio" (Salmo 90.12).
Administre seu dia antes que ele seja perdido. O bem que temos em comum é o tempo. E não podemos economizá-lo para usá-lo em outro dia. A hora que se passou, se foi para sempre. Devemos considerar como usá-la para tirar o maior proveito. "Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e, sim, como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus" (Efésios 5.15-16).
Por Robert J. Tamasy
MANÁ DA SEGUNDA
10 de setembro de 2012


quinta-feira, 30 de agosto de 2012

PROFUNDA VERDADE!


segunda-feira, 20 de agosto de 2012


MUITO IMPORTANTE - Participe na pesquisa

Pesquisa da Assembleia Geral 2013  

A Assembleia Geral 2013, que será realizada em Indianápolis, estado da Indiana, entre os dias 19 de junho - 27 de junho terá inicio em menos de um ano de distância. Com o tema "Fazei discípulos de Cristo nas nações", o evento será educativo, inspirador e estimulante. Queremos que mais nazarenos possam experimentar esta experiência, participar deste movimento significativo de forma pessoal e ativa. Para ajudar a atingir este objetivo, precisamos entender o que leva as pessoas a decidirem assistir a Assembleia Geral ... e por que algumas decidem não participar. Queremos ouvi-los. Nós valorizamos a sua opinião e espero que você possa separar alguns minutos para completar esta pesquisa online.  
Obrigado, antecipadamente, por nos ajudar a fazer da Assembleia Geral de 2013 e suas Convenções um sucesso. 


1.  Como você se sente familiarizado com a Assembleia Geral e eventos relacionados? 
Estou bem familiarizado
Sei poucas coisas sobre a Assembleia e eventos relacionados
Não sei nada sobre a Assembleia e eventos relacionados

PS: Para preencher todo o formulário Clique aqui

NOSSAS DECISÕES E SUAS CONSEQUÊNCIAS


Na vida, quando as coisas ficam fora de controle, a quem atribuir culpa? A experiência me ensinou que sou eu quem cria grande parte do meu próprio caos. E creio que isso pode se aplicar a você também! É universal: somos individualmente responsáveis pela turbulência em nossas vidas, ao menos por grande parte dela.
Vivemos em um mundo em que as pessoas querem lançar culpa das circunstâncias sobre alguém ou alguma coisa: pais, empregados, ambiente, sociedade, situações. Na realidade, porém, quando as coisas dão errado e queremos saber o motivo, tudo o que precisamos fazer é olhar no espelho. 
Por exemplo, se você comprar um carro e depois não gostar dele, a pessoa que decidiu comprá-lo e tomou essa decisão, criando uma “agenda de manutenção” que se tornou problemática, foi você. Alguns veem a insatisfação no casamento aumentar, mas foram eles que decidiram dizer “sim” para legalizar a união com seu cônjuge, e criaram outro tipo de “agenda de manutenção”, que os deixou desiludidos e desapontados. 
Você já se sentiu infeliz com seu trabalho? Conscientize-se que você decidiu trabalhar ali, influenciou ou permitiu condições que contribuíram para seu sentimento de desconforto, infelicidade e insatisfação. Vez após outra tenho aprendido que grande parte das consequências difíceis e desafiadoras com as quais tive de lidar foi resultante de minhas decisões prévias, erradas ou deficientes. O que posso fazer a respeito? Embora eu não possa mudar o passado, tento agora tomar decisões melhores desde o início.
Como aprendemos a tomar decisões melhores e moldar um futuro mais atraente e satisfatório? Existem muitas maneiras de tentar, mas descobri que a melhor delas é ler diligentemente a Bíblia todos os dias. Durante essas leituras diárias deparei-me com a seguinte passagem que oferece discernimento especial:
Jesus disse a Seus seguidores:“Por que vocês Me chamam ‘Senhor, Senhor’ e não fazem o que Eu digo? Eu lhes mostrarei com quem se compara aquele que vem a Mim, ouve as Minhas palavras e as pratica. É como um homem que, ao construir uma casa, cavou fundo e colocou os alicerces na rocha.  Quando veio a inundação, a torrente deu contra aquela casa, mas não a conseguiu abalar, porque estava bem construída. Mas aquele que ouve as Minhas palavras e não as pratica, é como um homem que construiu uma casa sobre o chão, sem alicerces. No momento em que a torrente deu contra aquela casa, ela caiu, e a sua destruição foi completa” (Lucas 6.46-49).
Frequentemente ouço: “Insanidade é fazer a mesma coisa vez após outra, esperando obter resultado diferente.”  Se você está satisfeito onde se encontra, permaneça. Mas se está experimentando áreas de insatisfação, e mesmo sofrimento, sugiro que cave profundamente na Palavra de Deus, para poder fazer o que Ele lhe manda fazer. Descobri que, como foi Ele que nos projetou, Ele sabe como funcionamos melhor e nos instrui de acordo com isso.
Deus é o Pai que verdadeiramente sabe o que é melhor. 
Por Ken Korkow

segunda-feira, 30 de julho de 2012

EM FÉRIAS

Cabo Verde (África) Um dos lugares mais abençoados do Mundo.
Garanto...

segunda-feira, 16 de julho de 2012

QUINTA-FEIRA na terra de Morabeza.
Cabo Verde um lugar abençoado por Deus no coração da África.
Chegando a hora...

INFLUENCIA DO MENTOR


Quando estava na faculdade, nos anos sessenta, chamou minha atenção um anúncio recorrente na contracapa das revistas sobre fotografia que eu lia. Falava sobre um lugar que tinha capacidade de ampliar a velocidade do filme ektachrome para 1600, algo desconhecido para a época. 
O endereço era intrigante: uma casa em Prairie Village, Kansas. Eu imaginava uma casinha na pradaria, igual à de uma série da TV da época. O nome do laboratório fotográfico era, “Elgin Smith’s Studio 35”. Mais tarde aprendi que Elgin Smith era conhecido mundialmente como “aquele camarada do Kansas que sabia tudo sobre ektachrome”.  
Quando me mudei para Kansas City em 1971, procurei o Sr. Smith na vizinha Prairie Village. Em breve nos tornamos bons amigos e quando abri o meu próprio laboratório em 1973, Elgin Smith tornou-se meu mentor. Ele e a esposa Dorothy, enviaram vários trabalhos, dando ao meu negócio um grande pontapé inicial.
Sempre que mencionava o nome de “Elgin Smith” a alguém do ramo fotográfico, recebia a mesma resposta: “Que grande pessoa!”, ou, “Elgin é a pessoa mais legal que se pode conhecer”.
Ele tinha outra característica importante: busca incansável por excelência. Tudo quanto fez foi da mais alta qualidade.
Elgin Smith não aceitava nada menos que isso.
Ao longo dos anos percebi que aquelas eram qualidades que também me esforçava para alcançar. Sempre fico satisfeito quando alguém me descreve como um “cara legal”. Gosto de pessoas e busco ser alguém de quem se goste. Mas também busco excelência em tudo que faço: na fotografia, na música, escrevendo e nos meus relacionamentos. 
É muito significativo para mim saber que essas qualidades recebem bastante atenção na Bíblia. Entre os valores básicos do cristianismo estão: “Amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade e domínio próprio” (Gálatas 5.22-23).
Gosto da passagem que diz: “Por isso mesmo, empenhem-se por acrescentar à sua fé a virtude; à virtude o conhecimento; ao conhecimento o domínio próprio; ao domínio próprio a perseverança; à perseverança a piedade; à piedade a fraternidade; e à fraternidade o amor” (2Pedro 1.5-7). 
A Bíblia ressalta também a importância de trabalhar com excelência: “Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor, e não para os homens” (Colossenses 3.23). Para mim isso significa fazer tudo com o melhor de nossa habilidade, como se Deus estivesse olhando por cima de nossos ombros, avaliando nosso esforço e qualidade do nosso trabalho. 
Meu mentor Elgin Smith faleceu, mas sua influência em minha vida permanece, especialmente seus exemplos de procurar ser uma pessoa boa e amigável e realizar tudo com excelência. Até hoje frequentemente penso: “O que Elgin Smith faria?”
Por Jim Mathis

terça-feira, 10 de julho de 2012

ONDE INVESTIR


Quem está envolvido ativamente com investimentos, compreende a importância de dividendos. Quando investimos em ações, ou em fundos de investimentos, queremos receber a maior quantia de dividendos e o mais rápido possível.Também buscamos outros tipos de dividendos. Esforçamo-nos por construir relacionamentos benéficos com clientes, colegas e fornecedores e, às vezes, até mesmo competidores, esperando que essas ligações venham pagar “dividendos” que melhorem a produtividade e o sucesso da empresa. 
Investimos longas horas no trabalho, dedicadas a provar nosso valor como empregados, líderes e membros da equipe corporativa. Nossa esperança é que esse esforço e dedicação paguem dividendos em termos de carreira, aumento de responsabilidade e autoridade, e compensações financeiras. Há outros, ainda, como dedicação ao preparo físico através de alimentação saudável e firme programa de exercícios, que podem resultar em grandes dividendos em termos de bem-estar pessoal, não apenas fisicamente, mas emocional, mental e socialmente.  
Todos esses tipos de dividendos são, em sua maior parte, voltados para nós mesmos. Queremos obter retorno satisfatório para nossos investimentos, quer envolvam dinheiro, tempo, energia ou talento. Mas será que podemos colher dividendos em objetivos cujo foco está em dar e não em receber?Sim, podemos! Por isso Jesus ensinou:“É mais feliz quem dá do que quem recebe” (Atos 20.35). Vejamo algumas maneiras práticas que podem resultar em grandes dividendos: 
Palavras de encorajamento. Cercados por negativismos, palavras positivas, bem escolhidas, são capazes de levantar nosso espírito – um elogio, palavras de reconhecimento e apreço pelo trabalho bem feito, a afirmação de que momentos de dificuldades não durarão para sempre.“Saber dar uma resposta é uma alegria; como é boa a palavra certa na hora certa!” (Provérbios 15.23). “As palavras bondosas são como o mel: doces para o paladar e boas para a saúde” (Provérbios 16.24).
Dádiva da compaixão. Quando alguém enfrenta adversidade ou sofrimento, uma palavra de cuidado, reconfortante, pode proporcionar força e esperança. “...Para que, com a consolação que recebemos de Deus, possamos consolar os que estão passando por tribulações” (2Coríntios 1.3). 
Disponibilidade como mentor. Aqueles entre nós que já percorreram grande parte da estrada da vida têm sabedoria, experiência e discernimento a oferecer através de relacionamentos de mentoria, ajudando outros por meio daquilo que a vida nos ensinou. “Assim como o ferro afia o ferro, o homem afia o seu companheiro” (Provérbios 27.17). 
Mão de auxilio. Um trabalho aparentemente impossível para uma pessoa, se torna mais fácil quando outras se comprometem com o mesmo objetivo e se auxiliam mutuamente em sua realização. “É melhor ter companhia do que estar sozinho, porque maior é a recompensa do trabalho de duas pessoas... Um cordão de três dobras não se rompe com facilidade” (Eclesiastes 4.9-12).